21 fevereiro 2012

Lembranças volúveis



Não lhe resta senão o solene cumprimento dos compromissos. Agora, se volta para a próxima etapa da viagem, e no transcurso do tempo, esforça-se por rememorar os suaves contornos de uma expressão imersa em delicada serenidade, de manifesta leveza de sentimentos... e então, se imobiliza diante da paisagem enregelada, que corre alucinada diante de si... e adere ao som abafado do deslocamento, enquanto acompanha as gotas espargidas sobre a janela, a escorrerem mansas, indiferentes... traços imaginários que parecem fugidios, cada vez mais lembranças volúveis, embaralhadas ao cenário que se lhe desvela, lúgubre e inapreensível.


Nenhum comentário: